EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO: OS ESCOLÁSTICOS



Os escolásticos são uma doutrina teológica-filosófica dominante na Idade Média, caracterizada sobretudo pelo problema de relação entre a fé e a razão. Problema este que se resolve pela dependência do pensamento filosófico representada pela filosofia Greco-romana e teologia cristã. Teve como principais pensadores São Tomás de Aquino, Nicolau Oresmo e Antônio Florença. Estes defendiam e questionavam:

1.     Sistema de preços justos – então imposto pela Igreja;
2.     Sistema de comércio – o que incluía a geração de riquezas;
3.     A Lei da Usura – que discursava acerca da não cobrança de juros exorbitantes, embora tal ato fosse legitimado quando esta cobrança partia da Igreja;
4.     Sistema de Remuneração de Salários – o valor dos salários;
5.     A correta utilização da propriedade privada – questionavam se era justo a existência de terras sob o poder da Igreja.


Restam-nos definições:

FÉ: “É a certeza de coisas que se esperam, convicção de fatos que não se veem”
RAZÃO: “Faculdade que tem o ser humano de avaliar, julgar, ponderar ideias universais, estabelecer relações lógicas de conhecer, raciocinar, compreender, lei moral, direito material, a justiça do direito”.

O mercantilismo liga-se ao momento histórico em que os Estados começavam a acumular metais preciosos, símbolos e base da potência econômica e da riqueza nacional. Alguns Estados estenderam seus domínios coloniais (Colonialismo), e nas novas terras conquistadas foram buscar os metais preciosos, indispensáveis ao fortalecimento e sobrevivência da soberania. A partir do século XI surge, então, notável crescimento demográfico que gerou:

1.     Mão de obra;
2.     Aumento da oferta;
3.     Desenvolvimento do comércio;
4.     Surgimento das grandes cidades.

Como consequências desses quatro itens, surgem:

a.     O comércio internacional – após a saída dos feudos;
b.     Mobilização de grandes capitais – um novo sistema econômico;
c.     Desenvolvimento da indústria têxtil;
d.     Criação de associações mercantis;
e.     Nasce o sistema bancário;
f.      Generalizam-se os instrumentos de crédito.

Pontuam-se do seguinte modo os Principais Pensamentos Mercantilistas:

1.     Quanto ao comércio exterior, receber de outros países os pagamentos em metais preciosos;
2.     Para aumentar o poder e a soberania, o caminho normal era o comércio internacional;
3.     Exportar mais que importar e não importar bens sucedâneos;
4.     O artesanato, as corporações e os feudos cederam lugar à supremacia do Estado;
5.     O comércio Internacional transformou-se no mais poderoso instrumento de política econômica.

Tais princípios foram preponderantes para que se tecesse algumas considerações acerca desse sistema:
1.     Esse sistema estimulou a guerra;
2.     Exacerbou o nacionalismo;
3.     Manteve a poderosa presença do Estado em assuntos econômicos.

Postar um comentário