A ANÁLISE DA DEMANDA E DA OFERTA


A análise da demanda – Lei da procura
Definição de demanda: “Quantidade de um determinado bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir em determinado período de tempo”
É um fenômeno microeconômico de curto prazo, portanto.
À medida que os preços aumentam, as quantidades demandadas diminuem. É inversamente proporcional aos preços às quantidades demandadas.
Aqui, lidamos com preços relativos, não absolutos, mantendo inalteráveis as demais variáveis.
A lei da procura depende de:
1.     Preço do bem;
2.     Preço de outros bens;

3.     Renda do consumidor;
4.     Gasto, hábito, preferência;
5.     Preço de bens sucedâneos;
6.     Preço de bens complementares;
7.     Expectativa de novas ofertas;
8.     Dimensão do mercado.
Exemplo: Demanda de um bem X

Preços
Quantidades demandadas
1,0
12.000
3,0
8.000
6,0
4.000
8,0
3.000
10,0
2.000

A curva da demanda não é fixa, sendo negativa e descendente.

EFEITO RENDA: quando o preço do bem X aumenta, e o consumidor tem a sua renda constante, o mesmo perde poder aquisitivo. O valor nominal permanece o mesmo, mas em valor real, perdeu valor. Então o consumidor deixa de consumir e a demanda cai.
EFEITO SUBSTITUIÇÃO: quando o preço do bem X aumenta, permanecendo constante a renda do consumidor, este imediatamente adquire o bem sucedâneo ( bem Y, p. ex.), e então a demanda pelo bem X cai.
PARADOXO DE GIFFEN: (Exceção à lei da procura) – mesmo tendo um bem seu preço diminuído a quase zero, os consumidores não despenderão recursos adquirindo este bem, posto que estão enfastiados dele. Assim, a lei perde seu fundamento em virtude desse bem, denominado bem de Giffen.

A análise da oferta – Lei da oferta

Definição de oferta: “São as várias quantidades que os produtores desejam oferecer ao mercado em determinado período de tempo – são as quantidades que os ofertantes estão aptos e dispostos a oferecer ao mercado (aptidão depende de recursos, há casos em que, existindo recursos, falta disposição).
A lei da oferta depende de:
1.     Preço do próprio bem;
2.     Preço dos demais bens;
3.     Custo dos fatores de produção;
4.     Preferências do empresário;
5.     Nível tecnológico disponível.

Exemplo: Oferta do bem X


Preços
Quantidades ofertadas
1,0
1.000
3,0
5.000
6,0
9.000
8,0
11.000
10,0
13.000

O custo dos fatores de produção pode diminuir a oferta, exceto  quando tratar-se de inovações tecnológicas.
Pela lei da oferta, os empresários estarão sempre dispostos a produzir mais. À medida que os preços aumentam, os investimentos também são elevados.
A curva da oferta é positiva e ascendente, é diretamente proporcional  - quanto maiores os preços, maiores as quantidades ofertadas.
Observações importantes
A.    A relação entre OFERTA e os FATORES DE PRODUÇÃO é inversamente proporcional. Quanto maiores os custos, menores as quantidades ofertadas.
B.    A relação entreOFERTA e MELHORIA TECNOLÓGICA é diretamente proporcional posto que a tecnologia melhora as condições da oferta – qualidade, menor custo, etc.

Postar um comentário